Buscar
  • Holy Raps

A mentira do "eu não vivo sem você"

Por Lorraina Moraes*

“Eu não vivo sem você”. Essa frase soa como apelativa, não é verdade? Além disso, revela outro sentimento: DEPENDÊNCIA EMOCIONAL.



A dependência emocional não é apenas considerada um comportamento, mais sim uma patologia comprovada (ou seja, uma doença). E infelizmente as pessoas mais afetadas por este mal somos nós, mulheres. 


Veja o relato de uma Psicóloga sobre a definição da dependência emocional: “Condição em que a presença e o carinho constante de outra pessoa são considerados necessários para sua segurança pessoal; quando seu valor, sua paz de espírito, estabilidade interior e felicidade estão ancorados em uma pessoa e na reação dessa pessoa com você. Principalmente, quando tudo isso está relacionado a uma relação abusiva, violenta e opressora”.


Nós, mulheres, sentimos a necessidade de sermos cuidadas, amadas, e isso tudo é absolutamente normal. Mas isso não significa submeter-se a relacionamentos abusivos, violentos, opressivos e humilhantes. Quando falamos de violência não é apenas a violência física, mas a psicológica e suas demais manifestações.


Muitas mulheres se sentem inertes diante de tudo isso. Sentem extrema necessidade de APROVAÇÃO, RECONHECIMENTO E VALORIZAÇÃO. O medo do abandono também é latente.


Eu, particularmente, vivi anos refém e dependente emocionalmente. Muitas palavras me marcaram, tais como: “Sem mim, você nunca vai conseguir”. E creio que, automaticamente, ao aceitar essas palavras, pus minha dependência nele, e mesmo de forma inconsciente, respondi: “Eu não vivo sem você!”. Aí vem o perigo!


Apesar de a dependência emocional também pode ser materna, paterna, entre amigos, filhos e etc, a que mais tem gerado morte e traumas, principalmente a nós mulheres, é a dependência do outro, do próprio parceiro.


Dependência inversa


Quando a dependência é inversa, o homem encontra na agressão e autoritarismo, formas de prender a esposa ou namorada no relacionamento. Embora ela não aceite a violência, se sujeita por medo.


Ultimamente vemos que a violência existe também no meio cristão, e não podemos camuflar isso. O machismo (algo completamente avesso ao Evangelho) está presente e contribui para essa mazela. Além de adoecer, a dependência emocional (principalmente do agressor) é uma questão de caráter, e precisa ser tratado dentro e fora das igrejas, pois é um assunto universal.


Independente... DENUNCIE! Rompa a barreira do medo!


A denúncia é uma forma de reagir e pedir ajuda, mas não apaga as marcas e cicatrizes no corpo e na alma. As palavras ainda ecoam, a insegurança do “como vai ser sem ele?”, “o que será dos meus filhos?”, ainda nos rodeia.


Já experimentei as consequências das minhas escolhas. E, por vezes, fui culpada e me culpei por elas. Resolva se perdoar, isso é extremamente importante.


Não! Isso não foi o que você escolheu viver! Pois, se soubesse o que ia acontecer, não teria optado por esse tipo de relação. Ainda dá tempo de se libertar dessas amarras.


Amor que cura!


Um dia provei de um amor que me trouxe autoestima, me curou dos meus traumas e me ensinou em quê devo firmar minhas escolhas. Um amor expresso em atitudes, o Amor Ágape, aquele cuja fonte única é DEUS.

Se compararmos a dependência emocional com o Amor Àgape, perceberemos a diferença:

O Amor Ágape é derramado por Deus em nossos corações. Já a dependência emocional surge a partir de carências emocionais. A dependência nos leva a uma relação ciumenta, possessiva, obsessiva. Enquanto o Amor Ágape é um amor verdadeiro, que não visa seus próprios interesses.


"Esse é o jeito dele": não caia nessa


Quando conhecemos o amor verdadeiro, tudo o que é falso é desmascarado. Não se engane dizendo: “esse é o jeito dele”. Pois não existem várias formas de amar. Existe apenas uma! O Amor de Deus. Quando o casal entende e recebe esse Amor, manifestá-lo se torna natural.


Falando sobre Amor, em 1 Coríntios 13:7 diz: “O amor TUDO crê, TUDO espera e TUDO SUPORTA”. Quando a Bíblia cita isso, não está falando de um amor que suporta o desrespeito, traição, agressão, desvio de caráter! Não fala de um amor “bandido” ou leviano. E sim um amor que suporta as diferenças, as dificuldades e tudo que se refere a relacionamento. O “suportar” se refere a palavra suporte (sustento).


Depender ou depender


E por falar em suporte, sustento, ai vem o porquê de eu ter escolhido este tema: "dependência". Para quem entendeu o significado da palavra “depender”, não existe segunda opção. Ou depende ou depende de Deus.


Depender no dicionário significa: precisar de alguém ou alguma coisa, ser dependente.

Decida depender só de Deus. Compartilhe com Ele seus medos e anseios. Com certeza, Ele tem o melhor!


Talvez você já viveu esse tipo de relação ou ainda vive. Procure ajuda! E estabeleça relações firmadas em Deus. Pois Ele sempre tem o melhor!


*Lorraina é coordenadora do Projeto Rei das Ruas e rapper

1 comentário