Buscar
  • Holy Raps

Kamale Gam: "podemos fazer a diferença"

Rapper comenta participação na Holy Raps Cypher #2, lançada no início de fevereiro


Kamale (de branco) nas filmagens da Cypher #2

No início do novo milênio, o grupo Família Gam era um dos principais representantes do rap produzido no Espírito Santo. Baseado nos preceitos cristãos, o grupo - do qual fazia parte o saudoso Garcia Gam (RIP) - trazia em suas letras temas como o combate à violência, a fuga do mundo do crime e o amor ao próximo, o que os levou a atuar intensamente, tocando em diversos shows, festivais e participando de projetos sociais de suma importância para a juventude periférica capixaba.


Apadrinhado por Garcia, foi que surgiu para o rap capixaba Wescley da Mota Costa, vulgo Kamale, no ano de 2002, quando formavam o grupo Falha do Sistema. No ano seguinte, eles viriam, junto a Glauber Lopes, a completar a formação do Família Gam. Kamale Gam participou ativamente na liderança do grupo até a morte de Garcia, em 2011.


"O Família Gam realmente entrou na cena aqui e fez a diferença na vida de muita gente. Sempre tive o grupo como um ministério", revela Kamale.


A partir de então, seguiu carreira solo, e lançou diversos singles, que podem ser conferidos aqui. Em 2018, o rapper lançou o videoclipe da música "Viver e Vida" , sob a produção da Karatapa Films, muito elogiado pela crítica, e vencedor do Cine Rap 2018 na categoria Juri Popular, com mais de 1.300 votos.


Agora, Kamale Gam voltou à ativa ao aceitar o convite do coletivo Holy Raps para participar da Cypher #2 - Independência. Ele explica que a participação na produção significou para ele a união de pessoas num mesmo objetivo.


"Posso falar de várias coisas que essa cypher significou pra mim. Mas principalmente, o fato de estar entre meus amigos, saber que estamos do mesmo lado na busca pela justiça social e que podemos fazer a diferença na vida das pessoas se estivermos juntos, num mesmo objetivo", destacou.


Kamale ainda falou sobre o teor político das letras, que trataram das contradições dentro do tema da "Independência do Brasil". "Creio que a inspiração maior seja a inconformidade com o atual cenário político que já se alastra há anos em nosso país, movido a corrupção, negociatas e roubo do bem mais precioso, que são nossas vidas", afirma ele.


E conclui: "Como somos luz, o sal que tempera este mundo, e por acreditar que refletimos a voz e o amor de Deus em um mundo corrompido, essas têm sido as minhas inspirações. Nem direita e nem esquerda, mas centro da vontade de Deus".


Confira o videoclipe da "Holy Raps Cypher #2 - Independência":