Buscar
  • Holy Raps

"Preto, pobre e órfão" contrariando as estatísticas

Vanderli do Nascimento, o mano Vand dos Sacerdotes da Luz, estreia a coluna Novas Criaturas trazendo seu testemunho


Quando a maioridade chegou, a vida de Vanderli começou a desandar

"Preto, pobre e órfão", como ele mesmo diz. Uma mistura que, no Brasil, possui todos os ingredientes da exclusão social. Mas, pela graça de Deus, são 36 anos contrariando as estatísticas. Nascido e criado na comunidade de Bela Aurora, em Cariacica, Vanderli do Nascimento, vulgo mano Vand, vocalista dos Sacerdotes da Luz, é um exemplo do que Deus é capaz de fazer para resgatar os que Ele ama.


“Aos 12 anos fiquei órfão de pai e mãe: minha mãe faleceu em janeiro e meu pai em dezembro de 1995. Ainda nessa idade, ouvi de muitas pessoas que eu não seria nada ou que seria bandido, que não superaria as estatísticas do preto, pobre e órfão; que não passaria dos 18 anos”, revela o rapper.


Vand foi criado pela sua avó materna, a Dona Ormy, que o ensinou o que seus pais não tiveram tempo: o caminho certo no qual deveria andar, a presença de Cristo. Mas a maioridade chegou e, aos 18 anos, em busca de sua “liberdade”, conheceu e se apaixonou pela bebida, pelo cigarro, pela noite e pelas drogas, que o aprisionaram por longos 15 anos.


“Eu queria ser ‘livre’. Comecei com pequenos goles de vinho, depois a cerveja, o cigarro, as baladas, os rocks, a prostituição e a cocaína. Esta última seria só uns tapas, pra mostrar pros amigos que eu era ‘doidão’, mas foi nela que acabei me viciando e fiquei preso até o dia 4 de junho de 2016. Devido ao vício em álcool e cocaína, perdi amizades, bons empregos, relacionamentos que não davam certo, perdi meu caráter, moral...”, relata Vanderli.

Em novembro de 2015, a vida dele começava a mudar. Foi a época em que conheceu sua esposa Camila Almeida e a enteada Verônica, de três anos. Camila andava nos caminhos de Cristo e buscava levar Vand à Sua presença, mesmo com dificuldade. A partir do dia 3 de junho de 2016, a vida daquela família se transformaria para sempre.


Batismo de Vanderli nas águas

“Naquele dia, depois de uma noite regada a álcool e drogas, meu casamento havia acabado. Foi quando eu disse: ‘Chega! Eu não nasci com isso, e isso não pode me dominar!’. Então prometi que a partir daquele dia ela não mais iria sofrer pois não iria mais me alcoolizar ou me drogar. No dia 5 de junho tomei a decisão mais importante da minha vida que foi entregar-me a Jesus Cristo, crendo nEle como meu único e suficiente Salvador”.


Quando o rap entrou


Vanderli é vocalista do grupo Sacerdotes da Luz, liderado por Jonathas Pereira

As lutas continuavam e ele não tinha nenhum amigo cristão para acompanhá-lo nessa caminhada de fé. Foi quando o rap entrou em sua vida através de Jonathas Pereira, líder dos Sacerdotes da Luz. “Ele me convidou para conhecer e participar do projeto HHMC (Hip-Hop Missionário de Cristo). Pra quem não tinha amigos cristãos, ali estava a oportunidade que Deus tinha me dado de conhecer novos amigos”.


Vanderli, que já ouvira grupos de rap como Racionais MCs, Detentos do Rap, 509-E, MV Bill, Artigo 607 e outros, foi convidado a fazer parte dos Sacerdotes da Luz. “Fui aprendendo as letras e Deus foi me capacitando. Nunca tinha ouvido o rap que falava de Deus assim. Então fui conhecendo os manos do rap cristão capixaba e formando meu novo ciclo de amizades”.


Hoje, ao lado de Jonathas, Vanderli compõe o grupo, juntamente com Emily (filha de Jonathas), nos vocais e o DJ Renato nas pick-ups. Além de fazer rap, Vand trabalha com contabilidade e afirma que, assim como a Palavra de Deus em 2 Coríntios 5:17, é uma “nova criatura” em Cristo, “as coisas velhas já passaram” e “tudo se fez novo”.



O rapper junto à esposa Camila e às filhas Alice e Verônica

“Hoje tenho uma vida remida e restaurada pelo sangue de Jesus Cristo, meu Senhor e Salvador. Tenho meus filhos Verônica, Vitor Hugo e Alice, e uma esposa linda, que amo mais que tudo. O rap cristão foi um importante instrumento para eu mudar de vida e hoje prego o Evangelho através do rap com meus irmãos. Toda a honra e glória a Cristo”, finaliza.

1 comentário