Buscar
  • Holy Raps

Projeto Rei das Ruas: adolescentes da UFI gravam música em oficina

Após a seleção e revisão das poesias compostas pelas adolescentes, elas gravaram uma música em estúdio improvisado na Unidade na quarta-feira (6)


Oficineiros do Projeto Rei das Ruas improvisam estúdio na Unidade de Internação Feminina

Cinco adolescentes que cumprem medida socioeducativa da Unidade Feminina de Internação (UFI), que é gerida pelo Iases (Instituto de Atendimento Socioeducativo do Espírito Santo), gravaram uma música a partir de um estúdio improvisado dentro da unidade, nesta quarta-feira (6). A iniciativa faz parte do Projeto Rei das Ruas – Arte Educação, que vem desenvolvendo a Oficina de Ritmo e Poesia (RAP) com as adolescentes desde o dia 8 de setembro.


O coordenador geral Gustavo Gouvêa (Googha), junto à coordenadora feminina Lorraina Moraes (Fênix Rap) estiveram na unidade e montaram em uma sala o “Estúdio Rei das Ruas”, com equipamentos próprios, para captar as vozes das adolescentes, que foram cantadas em cima de uma base instrumental produzida. Esse foi o quinto encontro dessa turma das oficinas, que foi trabalhada progressivamente para o momento da gravação, que foi um sucesso, segundo o coordenador geral.


Adolescente da UFI grava voz

“Começamos introduzindo elas no mundo da poesia, apresentando aspectos gerais dessa arte e apresentando nossas produções autorais. Depois, fizemos o workshop e elas já começaram a escrever suas próprias poesias, a partir de nossa instrução. Num terceiro momento, trabalhamos a expressão das poesias e, posteriormente, selecionamos com elas as partes que seriam cantas em cima do beat (base instrumental do rap) e treinamos as poesias ritmadas. Elas treinaram, até chegar o dia da gravação”, descreve Googha o processo.


E completa: “A performance delas foi fantástica. Foram somente cinco encontros para que elas aprendessem a fazer poesia e a rimá-las na batida, se expressando. Mas elas deram conta do recado muito bem, se empenharam nos treinamentos e ficamos muito orgulhosos delas. Estamos ansiosos para ver o resultado da produção final”.


Reflexões e Pré-produção


No quarto encontro das Oficinas de Ritmo e Poesia (RAP) do Projeto Rei das Ruas – Arte Educação, realizado no dia 29 de setembro, a coordenadora Lorraina Moraes (Fênix Rap) iniciou as atividades realizando uma palestra sobre “Sonhos e Planejamentos”, e as adolescentes compartilharam suas perspectivas do assunto.

Lorraina ensaiando as poesias com as adolescentes

“Elas compartilharam seus sonhos e projetos pessoais, colocando seus sentimentos e anseios em relação ao tema. Foi uma troca bem legal. Oramos coletivamente e individualmente por cada pedido de oração delas”, relatou a coordenadora.


Depois do momento, foi a hora delas expressarem as poesias por elas selecionadas e posteriormente revisadas. É importante salientar que, no terceiro encontro, no dia 22/09, após uma vasta produção poética por parte das adolescentes, elas tiveram que selecionar os trechos que entrariam na música gravada, com o auxílio do coordenador Googha.


Googha: decisão das poesias da música

“Esse momento é difícil, porque requer ao mesmo tempo uma tomada de decisão firme e desapego em relação às partes que não entraram. Selecionamos pela maior adequação ao tema”, explica ele.


Alinhando e organizando as poesias


Após a escolha das poesias que entrariam na música, a coordenadora Lorraina realizou o trabalho de alinhar as poesias e encaixá-las na métrica do rap, mantendo o conteúdo composto pelas adolescentes. Para ela, o processo foi desafiador.


“Realizar este processo sem tirar a essência com a qual elas expressaram em suas poesias foi desafiador. Uma coisa é você escrever sua própria poesia, outra é você alinhar a de outras pessoas. O poeta não escreve apenas, coloca sentimentos na ponta da caneta. Organizar cada poesia, sem mexer na essência, foi muito difícil, um processo delicado”, declarou a coordenadora, que se surpreendeu com o resultado.


“O resultado foi surpreendente. As meninas ficaram impactadas. Rimaram suas poesias na batida com a orientação dos oficineiros. Aos poucos a timidez ficava de lado. Todos se envolveram, até mesmo os agentes aplaudiram e incentivaram as adolescentes. Foi sureal!”.


Experiência impactante


4º encontro, antes das gravações

Sobre o processo de edição das poesias, Lorraina compartilhou uma experiência “impactante” que teve ao trabalhar em cima de um dos versos de uma adolescente.


“Em umas das frases, ela dizia que era um lixo e que a mãe dela não a amava. Era impossível editar aquela frase. Mas, através daquele desabafo, achei uma forma de trazê-la para realidade, de reafirmar seu valor e mostrar para ela uma nova identidade”, contou a coordenadora.


E continuou: “Quando conversamos sobre a letra, perguntei a ela se havia notado algo diferente. Ela sorriu e me disse que aquele trecho estava diferente, mas disse que havia gostado do resultado. Começamos a conversar e, através da poesia, pude trabalhar não só os valores e autoestima, mais o contexto familiar dela”.


Lorraina, que é rapper e missionária, descreveu a vivência daquele momento. “Eu disse: sua mãe te ama, ela só não aprova os seus atos. Assim também é Deus conosco. Isso soou suave, e ela desabafou e me contou o motivo pelo qual estava ali. Através da música pude ministrar algo novo na vida dela”.


A responsabilidade


“Quando entramos na unidade, não somos apenas artistas, oficineiros e/ou missionários. Somos pontes e respostas para cada vida ali presente. Cada palavra se torna um norte e uma referência para as meninas. Não estamos ali apenas para transmitir uma mensagem nossa, mais sim a mensagem de Deus, através do dom que nos foi confiado”.

Lorraina Moraes, rapper e missionária


Esta fase do Projeto Rei das Ruas - Arte Educação está sendo desenvolvido com o auxílio dos Editais Funcultura, da Secretaria de Estado da Cultura do Espírito Santo (Secult-ES).